quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

RENOVAÇÃO

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um individuo genial.
Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar
e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação
e tudo começa outra vez, com outro número
e outra vontade de acreditar
que daqui para diante tudo vai ser diferente.”

Carlos Drummond de Andrade


Comecei o ano de 2010 chorando muito. Chorei porque guardava dentro de mim uma angústia esperando o inesperado. Sentia um medo de não dar conta das minhas decisões e medo de dar tudo errado. Era sempre um choro contido dentro do quarto, sozinha e respeitando minha maneira de estar só. Era assim que também sozinha dava conta que ao final tudo ia dar certo e que era para acreditar. Aí o choro desesperado transformava em esperança e eu percebia que a tranquilidade era proporcional ao desespero do início. Só depois do tormento, dormia feliz! Renovação.

Chorei de emoção quando vi minha casa montada com coisas simples, mas minhas de coração. E na mesma noite, dormi com um sorriso largo, proporcional ao meu choro quando o encantamento se fez presente. Sentei-me na escada e chorei de felicidade ao apreciar meu quarto grande com lençóis brancos que cobrem minha cama, o baú antigo de jacarandá e a mesa lateral com o mapa de Paris! Meu coração sorriu ao colocar uma gérbera no criado que emprestou um colorido simples nesse espaço gostoso de dormir.

Sorri muito com meus amigos, um a um, que na chegada também se encantavam com o meu jeito simples de viver. Chorei sorrindo na hora do banho ao recordar dos bons momentos vividos naquele dia. Choro curto, lágrima única, leve e até gostoso de chorar. Chorei por ser amada. Chorei por todos também amarem minha casinha. E também chorei muito com soluço quando me decepcionei com uma pessoa querida. Mas fiquei feliz por saber que eu também sei perdoar.

Cheguei em casa feliz quando as cortinas da cozinha foram instaladas e o charme anunciado se fez presente. Minha extensão da sala de estar, meu lugar de receber. Sorri muito quando a primavera chegou e as flores cuidadosamente plantadas, surgiram como que em um passe de mágica. Registrei esses momentos simples, mas que me encheram de poesia.

Chorei por ser feliz, por questionar meu merecimento. Chorei e agradeci pelo simples me encher de felicidade. Chorei por me sentir renovada.

Termino meu 2010 feliz, sorridente, agradecida por tantas coisas boas vividas, com muita saúde pra brindar 2011 com muita alegria que tenho dentro de mim!
















8 comentários:

Angela Bergamaschi disse...

bjos e vc e que continue sendo feliz...feliz 2011

Flavinha Gomes disse...

Oi, Zi!!!
Sou a Flavia, do Casinha Bonitinha.
Adoro Drummond e quase chorei ao ler o seu post...
Estou louca para que 2010 acabe, foi um ano muito difícil para mim e meu marido, ano de doenças.
Mas estamos aqui firmes e esperando que 2011 seja melhor.
Tudo de melhor pra vc tb, viu.
Super beijo, prazer ter vc lá no CB.

Zi disse...

Angela, feliz 2011 pra vc tb! um beijo grande!

Zi disse...

Ei Flavinha! adorei sua visita! tenho certeza que 2011 será um ano de muita luz e muita saúde pra vc e sua família! tenha fé e esperança! um beijo

Lia disse...

menina poeta ... amei o post

Zi disse...

Ei Lia! sempre sinto uma energia positiva quando vc vem aqui na Casinha... não sei porque, mas gosto muito de vc! Desejo pra vc e toda a sua família, um ano de muita luz, muita saúde pra continuar me alegrando da forma como vc faz! Um brinde a 2011! Tin Tin !

Hilana disse...

Oi Zi!!
Adorei o seu Blog em especial esse post, ouvi esse texto na igreja, no culto de Ano Novo e adoreii!!!
Que esse seja o nosso pensamento...Adorei a visita e conhecer o seu blog, já estou te seguindo e vou acompanhar tudinho por aqui...
Bjss

Zi disse...

Ei Hilana! Seja bem vinda e que 2011 seja melhor que o ano que passou, com muita saúde pra gente continuar seguindo em frente! beijos