quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

RENOVAÇÃO

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um individuo genial.
Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar
e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação
e tudo começa outra vez, com outro número
e outra vontade de acreditar
que daqui para diante tudo vai ser diferente.”

Carlos Drummond de Andrade


Comecei o ano de 2010 chorando muito. Chorei porque guardava dentro de mim uma angústia esperando o inesperado. Sentia um medo de não dar conta das minhas decisões e medo de dar tudo errado. Era sempre um choro contido dentro do quarto, sozinha e respeitando minha maneira de estar só. Era assim que também sozinha dava conta que ao final tudo ia dar certo e que era para acreditar. Aí o choro desesperado transformava em esperança e eu percebia que a tranquilidade era proporcional ao desespero do início. Só depois do tormento, dormia feliz! Renovação.

Chorei de emoção quando vi minha casa montada com coisas simples, mas minhas de coração. E na mesma noite, dormi com um sorriso largo, proporcional ao meu choro quando o encantamento se fez presente. Sentei-me na escada e chorei de felicidade ao apreciar meu quarto grande com lençóis brancos que cobrem minha cama, o baú antigo de jacarandá e a mesa lateral com o mapa de Paris! Meu coração sorriu ao colocar uma gérbera no criado que emprestou um colorido simples nesse espaço gostoso de dormir.

Sorri muito com meus amigos, um a um, que na chegada também se encantavam com o meu jeito simples de viver. Chorei sorrindo na hora do banho ao recordar dos bons momentos vividos naquele dia. Choro curto, lágrima única, leve e até gostoso de chorar. Chorei por ser amada. Chorei por todos também amarem minha casinha. E também chorei muito com soluço quando me decepcionei com uma pessoa querida. Mas fiquei feliz por saber que eu também sei perdoar.

Cheguei em casa feliz quando as cortinas da cozinha foram instaladas e o charme anunciado se fez presente. Minha extensão da sala de estar, meu lugar de receber. Sorri muito quando a primavera chegou e as flores cuidadosamente plantadas, surgiram como que em um passe de mágica. Registrei esses momentos simples, mas que me encheram de poesia.

Chorei por ser feliz, por questionar meu merecimento. Chorei e agradeci pelo simples me encher de felicidade. Chorei por me sentir renovada.

Termino meu 2010 feliz, sorridente, agradecida por tantas coisas boas vividas, com muita saúde pra brindar 2011 com muita alegria que tenho dentro de mim!
















segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

10 ATITUDES QUE PODEM FAZER A DIFERENÇA

1- AVALIE

É mesmo preciso trocar de carro, celular, TV, roupas em períodos casa vez mais curtos? É muito mais fácil achar culpados para nossa dificuldade em mudar hábitos que agridem o meio ambiente do que nos responsabilizarmos por eles.

2- PARADIGMA

Entenda plenamente a impermanência de todas as coisas, execite o desapego e o respeito pela escolha dos seus companheiros e amigos.

3- APRENDA A SER RESILENTE

Decepções, perdas, traições, desencantos fazem parte da vida. Mas o ser humano tem infinita capacidade de se levantar. O importante é encontrar maneiras de lidar com a dor e acreditar sempre que as feridas irão cicatrizar um dia.

4 - SEJA FLEXÍVEL

Muitas pessoas definem projetos e se apegam a eles sem enxergar o que se passa ao lado. Tenha uma meta, mas, vez por outra, avalie se você pode mudar o percurso. Leia os sinais à sua volta, seja fexível. Às vezes uma mudança de roteiro pode mudar a sua vida.

5- CUIDE DE SUA SAÚDE

Pratique exercícios físicos, coma alimentos saudáveis, tire um tempo para não fazer absolutamente nada, contemple a natureza, curta-se.

6-  NÃO TER QUE

Vivemos em um mundo de cobranças de performance. Todos devemos ser ótimos, eficientes, maravilhosos, bem vestidos, saudáveis, educados, amorosos, sociáveis e por aí vai. Abra mão da ditadura da cobrança e seja livre para viver as experiências que realmente te deixam feliz.

7- PRESTE ATENÇÃO

Seus maiores inimigos são seus apegos e ódios. Livre-se deles.

8- CONVIVÊNCIA BÁSICA

Olhe nos olhos, dê bom dia, dê passagem no elevador, puxe um dedo de prosa com um desconhecido, sorria, caminhe por novas ruas, faça algo que nunca fez, visite um local diferente todo ano. O inusitado é instigante.

9- ATENÇÃO

Não deposite em ninguém a responsabilidade pela sua felicidade ou sucesso. Você é o único regente da sua vida.

10- ESSENCIAL

Não desista do amor nunca. Ele é a própria chama da vida.
   

                                       
FONTE: JORNAL O TEMPO 19/12/2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

OBJETO PARA REFLETIR

Na minha casa, tento dar sentido para todas as coisas. Meus objetos, meus móveis, minhas flores, minha sensibilidade refletem as referências do meu jeito de morar. Gosto de andar pelas ruas e ver coisas. Gosto de me apaixonar pelo simples. Faço um registro de imagens com a percepção do olhar. Gosto de arrumar minha casa e trocar os objetos e móveis de lugar, só pra ver se fica bom. Surpresa! E não é que fica?! Assim é o meu olhar e é esse jogo do simples que me surpreende. O lugar onde habito é mágico e porque eu quero é uma casa feliz!

A mesa lateral que chegou, tem um tampo de forma orgânica e o revestimento em espelho reflete o que coloco por cima. É gostoso brincar com o lúdico, imagens duplicam e ganham proporção diferenciadas. Simples assim.  Coloquei apenas um Papai Noel sobre ela e agora tenho dois. E só pra testar, levei-a para meu quintal e posicionei debaixo do meu brinco de princesa e tive uma grata surpresa: vi um lindo bouquet de flores se oferecendo pra mim!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ACREDITAR

Acho que tem uma estrelinha piscando pra mim...

CHEIRO DE INFÂNCIA

Lá na infância, vez ou outra, recordo-me de algumas histórias. No campo das sensações, alguns sentidos me envolveram fortemente. Um deles em especial é o olfato. Lembro com muita clareza e em minhas narinas um cheiro forte, inconfundível e sedutor: o cheiro de café.
Meu pai nasceu no interior de Minas e foi em um distrito, na verdade um povoado, até hoje denominado Japão Grande. Não consigo nem explicar o porque do nome. Mas é assim. E Também não adianta procurar no Google Maps... não vai encontrar. Mas pode ter certeza que existe!
Ainda muito jovem, chegou na capital, Belo Horizonte, munido de uma mala, um sonho e uma esperança. O primeiro emprego que durou a vida inteira, começou fazendo pequenas entregas de café a bordo de uma bicicleta. Tenho certeza que feliz da vida! Característica dele. E também muito perseverante. Outro dom maravilhoso.

Cresci com esse aroma. Cresci com esse paladar. Cresci vendo-o preparando o café todas as manhãs. Cheiro bom.

Formou uma família só de mulheres e era ele que tinha que encontrar maneiras diferentes de sobressair bem nesse universo feminino. E olha que ele fez isso com mestria! Saudade.

Hoje na Casinha, sou eu quem prepara o café da manhã. Gosto do café forte, daqueles pra partir com faca! Gosto de me envolver nos aromas, nas lembranças, nas histórias vividas. Preparo com gosto.
Aqui, o Danilo também tem que se virar pra dar conta de tantas mulheres ao redor.
Primeiro eu, depois minha mãe, minha irmã e minhas duas lindas sobrinhas. Durante muito tempo, ainda tinha minha (única avó viva) avó materna que eventualmente morava conosco. E não satisfeito, lá na casa dele, minha sogra e sua única irmã! No total, somos 8 contra 1! Covardia? Nada! Ele consegue sobressair de um jeito muito sedutor, com muita categoria e principalmente com um humor de dar inveja! É... mas mesmo assim, o mundo é das mulheres!

Danilo sempre falou que gostaria de ter conhecido meu pai. Ouvir isso, me faz feliz.  Ele é capaz de conversar horas a fio falando de uma pessoa que ele não conheceu e com a mesma veracidade de quem conviveu com ele. Acho que eles seriam amigos. Dois caras legais. Teria sido muito gostoso pra mim, ter podido desbravar um pouco mais desse universo masculino.

Na linha da vida, alguns anos os separam, mas é só uma questão de tempo.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

FELIZ!

É impressionante o real sentido do encontro. Desfrutar desses encontros. Como uma palavra tão simples, mas carregada de forte conceito pode transformar e motivar as pessoas. Ontem foi assim. Encontrei com a amiga (nova amiga!!!) Sandra e ela com um sorriso largo permitiu dizer “seja FELIZ com letras escritas em maiúsculo”. Fiquei pensando. E vale uma pausa. Comece com um silêncio, uma reflexão e um olhar novo. Deixe os conceitos velhos para trás. Ás vezes eles só atrapalham. Respeite a realidade própria e não deixe contaminar-se por coisas que não lhe pertencem. Permita-se receber com muito carinho os presentes que estão por aí. Permita-se um olhar poético, até com tom infantil e as descobertas aparecerão como em um passe de mágica!
                                              COPY PASTE