sábado, 17 de dezembro de 2011

OUTROS TEMPEROS

E finalmente cheguei à cozinha. Lugar preferido da minha casa. É daqui, debruçada sobre uma mesa de madeira antiga, cor de jacarandá, com marcas do tempo, que permito contar certos velhos costumes. Permito dizer que o tempo faz bem, que a saudade faz-me recordar memórias e lembranças lindas, guardadas com preciosidade em meu coração. A cozinha distribui os aromas, permite a acolhida, o papo gostoso e o desabafo em conversas sem hora para acabar. É quase sempre ao redor de uma mesa que o verdadeiro encontro acontece. Vale contar sobre o dia a dia, essa rotina necessária, falar sobre nossos amores, essas paixões cotidianas e os recalques do coração. Vale espremer a alma e deixar cair uma lágrima ou mergulhar nos pensamentos, nas falas bem colocadas e deixar extravasar  um sorriso largo. Entre amigos, pessoas queridas, é assim. A intimidade revela-se em um presente embrulhado com fitas largas e coloridas.

Olho para a  "vendinha", um armário sem portas na cozinha e vejo meus ingredientes,  temperos essenciais para o almoço do fim de semana. Guardados ali, tenho alguns com data vencida. A salsa desidratada, acumulou um cheiro que já não mais aromatizava o preparo dos alimentos. Prefiro um salsa bem hidratada e foi isso que fiz: plantei ervas que gostaram da chuva mansa e floreceram, distribuindo aromas e sensações frescas em meu jardim. O dia hoje tá cinza lá fora, aqui dentro, vejo uma vendinha colorida, no melhor estilo color block da moda!

Lá em casa, também era assim: a hora do almoço aos domingos, uma festa. Aprendi a cozinhar ainda menina, na categoria ajudante de cozinha, lavando e auxiliando e logo eu e minha irmã assumimos o cardápio dominical. Costume gostoso de seguir. Hoje posso encostar a mesa de jacarandá no canto e permitir nesse espaço de meros nove metros quadrados, um lounge, onde posso dançar, sorrir e me divertir. Dança comigo?

Sinto saudade de momentos não vividos. Parece um futuro roubado. Fantasio o que poderia ser bom, o que poderia ter mudado meu destino. Procuro situações onde a minha família completa, inteira, reunida em uma mesa grande desfrutando de momentos inesquecíveis. A saudade hoje acordou com cheiro de macarronada com batatas, com cheiro de um frango bem assado e molho de tomates frescos. Fechei meus olhos e logo fui servida com um café passado na hora. Cheiro de infância, cheiro da lida do dia a dia. O mês de dezembro é assim, uma reticência entre o que está terminando e o novo começo. Precisamos dessa pausa, esperando a interrogação do próximo ano que virá. Novas surpresas e novos desafios. Novos momentos para depois, virarem lembranças.

O Natal é no domingo. E nesse Natal, mais uma vez, terá um assento vazio. Vou retirar essa saudade, só por um momento, e permitir bons momentos com o que chegaram, com os que vieram para ficar e preencher um pouco desse vazio. E serei feliz sim, só que de outra maneira.

domingo, 11 de dezembro de 2011

DE OUTRAS ROUPAS

Tirei do cabide roupas que há muito tempo não usava. Dependuradas, algumas novas e outras já desgastadas com o tempo, pediram para vestir outras pessoas. Tirei algumas ainda com etiqueta, que nunca foram ao menos experimentadas e já estavam em desuso. Não que eu seja consumista, nunca fui. A verdade é que a maioria de nós, usa apenas vinte por cento do armário. Sempre variações com as mesmas roupas. E sempre afirmamos que não temos nada para vestir! O universo ( e o closet !) feminino é assim.

Entendi através dos versos do Filtro Solar que a moda são como os amigos: sempre vem e vão, mas nunca, jamais, devemos abrir mão dos poucos e bons. Guardei por pelo menos uns dez anos uma saia longa, que não queria abrir mão e olha só que bom: hoje dita um dos looks favoritos da moda. O melhor de tudo é que ela abotoa na minha cintura! Manter a medida da cintura por dez anos, não tem preço!

Organizo o armário seguindo uma sequência de cores que vai dos brancos, passando pelos bejes, amarelos ( claro!), laranjas, vermelhos, beringelas, azuis, verdes, cinzas e pretos.  Fica mais fácil para identificar tudo o que tenho. Vi em um programa de tv e funcionou para mim.
Tá lá dependurado, ao meio da minha sequência de cores, um cinza esverdeado esquisito que insiste em fazer mal para o meu coração. É um cheiro de mofo de uma conversa que já deveria ter acontecido, um sentimento de mágoa que insite em ficar e que eu não quero. O meu coração está aberto esperando por um sim! Espero que a naftalina ajude a reparar tanto tempo perdido.
Peguei um espanador e retirei também a tristeza, a inveja, a desilusão e o rancor e dependurei em cabides novos e perfumados, o perdão, o amor e a esperança. Perfeito.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

PRECISO DE OUTROS SAPATOS

Comecei com a faxina. E comecei pelas prateleiras onde ficam meus sapatos. Retirei de lá vários tipos e modelos, alguns de pouco uso, ainda bem novinhos e outros que no final das contas, ou das compras, pareceram mais comigo. As rasteirinhas que permitiam pés firmes e apoiados no chão, pediram outros solos; os de salto anabela revestidos em fibra, sentiram que é hora de reciclar; um par de tênis, que esforça em manter o ritmo da academia, pediu uma atleta de verdade e os de salto bem alto, esses pediram novos pés que realmente os adorassem. Não, não são para mim. Não sou estilo chique, sou despretenciosa e quase sempre faço opção pelo conforto. Em dias de festas, conto os minutos para a hora de distribuir os chinelinhos e nos dias que quero estar bem bonita, esforco-me nas alturas. Tarefa árdua, mas que no final, compensa.

O fato é que tristemente tive que dar adeus à minha sapatilha confortável, de cor forte que adoro, o amarelo, que me levou a vários lugares. Já era hora. Essa me acompanhou em trechos da minha caminhada, passou por caminhos tortos, linhas retas, topos de morros e declives acentuados. O cetim que a cobria, perdeu o brilho, o amarelo já virou aquele amarelinho -cor - de - quarto - de - bebê e o solado já estava com data vencida. Nem o sapateiro poderia fazer milagre. Preciso de outros sapatos. É hora de outos novos  para me levarem aonde eu for e seguir novamente nessa trilha, onde os caminhos podem estar cobertos com flores perfumadas, outras vezes parecendo um queijo suísso de tanta cratera, e por muitas vezes, confesso que quase sempre, torço para estar caminhando nas nuvens.

Prefiro estar sempre nos momentos desafiadores, com os dois pés firmes no chão e permitir essas extravagâncias de pular com um pé só só nos momentos de pura distração.


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

AULA DE CULINÁRIA NÚMERO 06!

Entrada: Minestrone de primavera e verão


Prato principal: Arroz de outono picante e lombo ao molho de uva



Sobremesa: Souflé de nutella



Cardápio rústico que a nossa Chef trouxe das aulas praticadas nas comunidades agrícolas do interior da Itália, porém divinamente fabuloso!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

PRA PENSAR

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".

Fernando Pessoa

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

QUERIDA RENATA,

os dias especiais, merecem mensagem especiais. Aproveito para falar de momentos também especiais.

Lembro bem a primeira vez que fui à sua casa e isso foi um marco em nossas vidas pois foi a pontinha que desencadeou uma grande amizade e lá eu tive a oportunidade de perceber o seu olhar poético com seu lar. Isso manifestou-se de tão singelas maneiras mas com um apuro, um cuidado tão especial pois em cada detalhe você coloca a porçãozinha mágica do amor. Com o passar do tempo, eu conclui que tudo o que eu queria na vida era mais ou menos aquilo que você fazia ali naquela linda casa: uma casinha verdadeiramente feliz!

Cheguei vestida de arquiteta e agora tenho a felicidade de poder compartilhar de tantos lindos momentos juntas com nossos amores e amigos e enlaçando cada vez mais a nossa convivência. Você permitiu a nossa amizade depois de tanta perda de tempo, com um mofo que não fazia nada bem. Que bom que você me estendeu a mão e ainda bem que eu aceitei esse convite imediatamente! Um presente!

Quero que saiba que aprendi a gostar de Natal com você. A sua casa sempre vestida para essa festa, encantou meus olhos com as luzes, cores vermelhas, douradas e cintilantes enchendo verdadeiramente meu coração de pura magia. E não foi apenas a belíssima decoração e a árvore gigante do tamanho dos meus sonhos que inebriou meu olhar, mas sim o encantamento pelo real sentido do Natal. A verdadeira festa do amor, paz, união e a celebração da vida. O agradecimento por estar vivo e ter tantas coisas maravilhosas ao nosso redor, como saúde, família e os amigos que sempre são muito bem vindos. Aí mora gente feliz e convive uma família muito feliz! Você mostrou essa felicidade simples para mim. E continua fazendo muita festa no meu coração.

Hoje posso receber você na minha casa, inspirada na sua, inspirada na sua simplicidade. Tive a ousadia de enfeitar minha casinha com os Papais Noéis antes de você. Peço que me perdoe. Tarefa fácil para você pois tem o coração do tamanho do mundo! Aqui na casinha ainda não tem uma árvore gigante como a sua, mas tem um pouquinho desse amor agora experimentado. E gostoso de viver! Gosto muito de ter você aqui congratulando de momentos especiais e aprendi a gostar do Natal. É que agora justifica para mim. Gosto muito de você, das suas filhas, do amor que você escolheu e da sua família. Gosto muito de seus amigos, saiba que eles também são muito bem vindos! Aproveito para agradecer a calorosa acolhida que sempre reserva para as pessoas especiais para mim. Sua sabedoria e encantamento é uma dádiva que poucos sabem aproveitar e você tem esse lindo dom. Sinta-se privilegiada! Na verdade é puro merecimento.

E desejo no mês do seu aniversário que Deus continue abençoando seus caminhos, que te envie muita luz nos momentos desafiadores e muita saúde para continuar alegrando a vida da gente!

Um beijo carinhoso!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

ONTEM EU FUI ASSIM!

Teve festa no fim de semana e eu fui assim:


Vestido (ao fundo) Farm ( que nem dá pra ver!)
Sandália em crochê da Arezzo
Carteira em camurça Via Mia

Será que a Cris Guerra aprova???

sábado, 5 de novembro de 2011

PRIORIDADES

Tenha tempo para cuidar do seu jardim, mesmo que seja um jardim sem flores. Tenha tempo para cuidar do jardim da sua vida, da sua casa e de seus amores.

Tenha tempo para ir ao super mercado à pé e voltar com as compras na sacola reciclável que ganhou da sua loja favorita. E aproveite para trazer flores nos braços.

Tenha tempo para conversar com seu vizinho, falar do tempo, do cachorro e dos filhos. Conversa sem pretensão alguma, mas com proximidades de gentilezas com a vizinhança.

Tenha tempo para ir ao cinema e assistir ao filme O Palhaço. E se emocionar. Ou se não puder, assista mais uma vez ao filme Simplesmente Complicado que com certeza estará passando na rede Telecine. Encante-se mais uma vez com o cenário e sonhe com a casa da protagonista. Deseje a cozinha da Jane, personagem da Meryl Streep. Sonhe com o balanço que debruça em um jardim simplesmente encantador. Cuidados: os sonhos costumam se realizar!

Tenha tempo para sua casa. Olhe com delicadeza e agradecimento para todos os seus móveis. Coloque na sua decoração, objetos que fazem parte da sua história. Distribua por toda a sua casa, suas memórias, heranças de família. A casa é sua! Faça da sua casa um lar e não uma loja onde todas as coisas estão nos seus devidos lugares, matematicamente calculadas. Troque as almofadas de lugar, redistribua os móveis, deixe a energia circular. Peça para seu filho fazer um desenho e o emoldure, colocando em um lugar que jamais imaginaria que ficaria tão bom! Receba com carinho as flores que acabou de comprar e perfume seu lar.

Tenha tempo para telefonar e ficar horas e horas falado só de bobagens com a amiga de infância. Tenho tempo de dar boas gargalhadas nessa ligação e relembrando momentos  inesquecíveis. Fique menos tempo no Facebook adicionando pessoas que não tem nada a ver. Não conseguimos ouvir e sentir risadas através do computador. Tenha tempo de encontrar essa amiga no cinema, no café ou no bar e continuar essa conversa que não tem hora para acabar. Tenha tempo para dar um abraço de verdade nessa pessoa que só deseja o seu bem.

Tenha tempo para sua vaidade. Corte o cabelo, pinte as unhas com o esmalte da moda. Leia as revistas de fofoca no salão e atualize-se com os assuntos de Diva com o cabeleireiro. Eles gostam disso. Compre um vestido novo.Vai fazer bem. Sonhe em usá-lo em breve e vá para a festa "se achando demais"! Capriche no salto e seja mulherzinha de verdade.

Tenha tempo para a pessoa amada. Crie uma história de amor, faça suas vontades, vista-se bem para sua chegada e capriche no jantar, na conversa; diga o quanto ela é importante para você e faça da sua vida um conto de novelas, de cinema ou o que for. Desenhe sua história a dois com sabedoria e amor.

Tenha tempo para fazer tudo isso e muito mais, enquanto quer, enquanto deseja, enquanto tem tempo. Aproveite cada minutinho da sua vida, não se compare com o outro. Viva o seu momento, o seu cotidiano e a sua rotina. Tenha tempo para fazer da sua vida uma grande festa!

domingo, 30 de outubro de 2011

AULA DE CULINÁRIA NÚMERO 5!

Entrada: Salada de legumes assados e croutons


Prato principal: Magret com purê de cogumelo porcini e gremolata



Sobremesa: Mousse de chocolate branco com maracujá



Hummm..... que delícia!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

APRESENTAÇÕES

Existe uma outra pessoa habitando essa casinha faz tempo. É um menino maluquinho que corre de um lado a outro e brinca de Tarzan na sala de estar. Sobe pela escada vermelha, saltando um degrau sim e outro não, fazendo meu coração ter palpitações inquietantes, em um ritmo que denomino de taquicardia aguda.

É você que acorda e desce as escadas quase trupicando no cobertor do ursinho Pooh e se enrosca no meio de nós dois, perguntando insistentemente "já acodou mamãe?". E é o mesmo que fecha os olhos por um minutinho e quando penso que caiu em sono profundo, pede o leite da manhã: " já acordei!"
Vejo você também já à noitinha, deitado no sofá,  totalmente entregue ao chocolate quente, respiração profunda e olhar de ternura para mim lá na cozinha, enquanto preparo o jantar. Certificando-se que eu estou ali e amparado com esse momento só seu, retira a mamadeira por alguns segundos só para mandar um beijinho gostoso e dizer: "mamãe, eu te amo!"

Já sei que de cada dez frases, oito terão a palavra papai no final":
"Quero tomar banho com o papai!
Quero sair no carro do papai
Vou almoçar com o papai
vou jogar bola com o papai
e quero uma camisa do Galo, igual ao do papai!"

Meu filho, eu já entendi que seu pai será seu herói! É ele que vai fazer você rolar de rir com as brincadeiras que aprende com o Didi e você vai se apaixonar por ele sim! E quando ouvir o ronco do motor do carro chegando na garagem, vai olhar para mim, com toda a felicidade do mundo e um sorriso largo no rosto: "papai chegou!"

Dentre tantas coisas que ainda vou aprender nessa vida, parte delas será com você. Será a bravura em enfrentar a vida e ao mesmo tempo a leveza em tê-lo perto de mim para me dar essa coragem. É um amor, meu filho, que ainda não experimentei. Será um brinde, um presente lindo e precioso que só você poderá me oferecer. Não há outra forma de encontrar esse sentimento, essa profissão e esse desejo, o de ser mãe.

Procuro seu rosto nas fotografias, procuro sua personalidade em mim e em seu pai. Encontro um menino lindo de cabelos encaracolados e um olho amendoado cor castanho claro. Encontro a ansiedade de um menino hiperativo, mas doce como a sobremesa de domingo.

É você quem vai me fazer chorar que nem criança, que nem você. E eu já estou pressentindo que não será choro de dor de barriga, nem fome ou de manha, acho que vai ser um choro de felicidade. E também sei que em todas as vezes, em qualquer ocasião, sempre vai me dizer com todo amor que sente em seu coraçãozinho frases repetidas que não me cansarei de ouvir: "mamãe, você é linda!"
 
Esse é um pouquinho do meu filhote, que existe por enquanto, só na minha imaginação!

sábado, 22 de outubro de 2011

CHUVINHA

Aprendi a gostar da chuva à pouco tempo. Durante anos achava ruim acordar pela manhã e ter a certeza que o dia inteiro seria marcado por essas gotas vindas do céu. Hoje acho uma benção! É uma delícia ser despertada com esse barulhinho bom, água benta da natureza.

É o início das festas do fim de ano, época do REcomeço, REflexão. Época de agradecimentos e fechamento de mais um ciclo de um ano inteiro.

Chuva mansa que molha meu jardim, as plantas agradecem e eu também!

Ele tá chegando,dando boas vindas para a chuvinha e já marcou presença na casinha!



domingo, 16 de outubro de 2011

sábado, 15 de outubro de 2011

PAPO BOM DEMORADO 2


Obrigada querida Remall pelo presente! Tenho certeza que esse será o ponto de encontro dos sabiás, assanhaços, azulão, dentre tantos outros que vão participar dessa festa!
Acessem: http://letrinhascombinadas.blogspot.com/

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CRIANCICE

Ainda sou uma menina que construo realidades e perco-me em sonhos. Adoro estar na roda - gigante, onde o cenário, mistura-se no infinito. E lá do alto, podemos ver coisas incríveis! Preciso dessa junção de cores, da percepção dos detalhes e da riqueza da simplicidade.

Faça-me parar de chorar com uma bobagem qualquer que um sorriso tímido e feliz logo se abrirá.

Na vida, pulando a amarelinha, acredito que alcançarei meus objetivos, a realização de meus sonhos, assim estarei  no céu! E volto equilibrando-me novamente, pé ante pé em busca de novos desafios sempre atenta na hora de colocar os dois pés firmes no chão.

sábado, 8 de outubro de 2011

PAPO BOM DEMORADO

Acordei cedo como de costume, mas permiti ficar na cama mais um pouquinho nessa manhã de sábado. Não demorou muito, e lá estavam eles assanhados num papo demorado na janela do meu quarto. Linguajar estranho, conversa esquisita. Acho que não sei relatar com riqueza de detalhes o que tanto falavam. Pareciam maritacas, mas na verdade eram os assanhaços, numa prosa gostosa de ouvir. E continuam lá até agora, reunidos debaixo da árvore grande. Acho que chegaram outros para esse encontro. Vou correr lá ver essa festa!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

UM MONSTRO

Adoro o blog "Diários da bicicleta"da Silvana Tavano e ela sempre tem definicões bem humoradas para palavras que fazem parte do nosso dia a dia.
Ontem ela escreveu assim:

"Urgente é um monstro enorme. Apesar de seu tamanho descomunal, ele se move com extrema rapidez, o que sempre provoca um vento inesperado e muito forte, capaz de arrastar tudo o que encontra pelo caminho. É da mesma família do Bicho-Papão, só que prefere perseguir os adultos, pois as crianças raramente dão bola pra suas ameaças. E como vive apressado, Urgente não gosta de perder tempo: por isso só inferniza quem o teme e se desespera sempre que ele aparece, mandão, dando ordens que nunca podem esperar. Quando está faminto, o monstro perturba o sono e não dá sossego enquanto a vítima não pula da cama. Mas Urgente não é um monstro noturno: gosta mesmo é de assombrar à luz do dia, devorando as horas do relógio e a energia das pessoas -- é disso que ele se alimenta pra ficar cada vez maior, mais poderoso e assustador.
Quando ele ataca, o primeiro impulso é sair correndo. Só que é justamente assim que a gente cai na sua armadilha. Daí não jeito: o Urgente nos engole, rápido e sem dó. "
 
Acessem: http://diariosdabicicleta.blogspot.com/2011/10/um-monstro.html

domingo, 2 de outubro de 2011

NORTE

Tenho carregado comigo um diário de bordo onde as memórias aparecem com um trecho de uma pequena história que muitas vezes nem vivi, ou porque as vivi há muito tempo atrás. Essa memórias me transportam para um mundo só meu, aguçando em mim minhas emoções. A minha Casinha é meu canal de comunicação com minhas histórias, com minhas memórias e com outras mais que simplesmente inventei. Sou feliz no meu lar, com meu amor, com meus amigos e com um pedacinho da minha família. É o meu presente,o mais lindo que recebi nos último tempos. Agradeço por isso. E de histórias somos feitos.

A vida é feita de encontros. E são nesses encontros com pessoas conhecidas e desconhecidas, que a  história da vida da gente vai sendo escrita. Gente que vem e depois vai embora, outras que chegam de mansinho e ficam para sempre. E outras mais que a gente queria que ficasse mais um pouco. Fiz planos com uma pessoa assim e que um dia simplesmente o destinos resolveu levá-lo para sempre. Nem deu tempo de falar dos meus planos. Ficou só uma parte. Meus planos continuam firme e inteiros, apesar de só existir uma metade desse casal.
As oportuinidades de viver o hoje, só acontecem nesse instante e são muitas vezes definidoras do nosso futuro. São as nossas escolhas. Certas ou erradas, somos nós que traçamos nossos caminhos.

Escolhi viver com o Danilo há quase nove anos atrás. Escolha certa, feliz e verdadeira.
Escolha de uma vida inteira e para sempre.
Sou beneficiada com a palavra amor.
Escolhi ter com ele uma vida a dois e em um futuro muito próximo, quero mais gente nessa história. Quero uma outra pessoa pequenininha me ensinando outra maneira de amar.
E foi o Danilo que me presenteou com essa bússula. Colocou no meu chaveiro para que eu não perca meu NORTE. É a maneira dele de me amar. Ele sabe cuidar de mim.
Saiba meu amor, é para lá que eu vou com você!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

JUM NAKAO

Ontem aprendi uma coisa importante com o designer Jun Nakao.
Não devemos nos ater à materialidade para sempre. Devemos ter um outro olhar para o simples  e enxergar a poesia, a sensibilidade nos detalhes. E que pode estar presente em uma mensagem escrita em um frágil bilhete de papel e imortalizado em nossas memórias.

domingo, 25 de setembro de 2011

AULA DE CULINÁRIA NÚMERO 04!

Entrada:

Rolinho de alface com parma, muçarela de búfula e mexerica


Panelinha de tomate, ricota e manjericão


Prato principal: Filé Wellington



Sobremesa: Sorbet de limão e acúcar de aroma com maçã


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

INQUIETAÇÃO

"É uma vontade que ainda não sabe falar, mas faz barulho e se mexe o tempo todo, brincando de pega-pega dentro da gente. "

Essa frase peguei emprestada lá no blog da Silvana Tavano. Acessem  http://diariosdabicicleta.blogspot.com/

QUARTA- FEIRA

É o dia que tenho certeza absoluta que não vai dar tempo de fazer tudo o que planejei para a semana....
Tudo bem.
Tenho que achar é que está tudo muito bom mesmo!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

SEGUNDA - FEIRA

A música do Fantástico anuncia o "desespero" que é a segunda - feira.
Ai....
o Padre Alexandre Fernandes falou durante a missa de ontem, que temos é que agradecer por sermos abastados. E somos mesmo!
Obrigada por essa segunda - feira que já passou!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

MISS IMPERFEITA

(Texto na Revista do Jornal O Globo- Martha Medeiros - Jornalista e escritora )

"Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros...
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias..
Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante."

terça-feira, 13 de setembro de 2011

CIRCUITO ONDINA

Foi sentada naquela mesa, naquele lugar de eternas recordações que a emoção se fez presente. Como bons mineiros, ao redor de uma mesa na cozinha aquecidos pelas chamas de um tradicional fogão à lenha que as lembranças, as verdadeiras memórias afetivas, manifestaram-se. Entre amigos é assim. Somente entre os verdadeiros. Como que em uma terapia coletiva, tiveram histórias, muitas histórias, lágrimas e também muitos sorrisos.

Lembro a primeira vez que fui à Casa Grande do Bicudo (a casa pequena era do tamanho da minha infância, porém permanece ainda muito grande na minha imaginação) e deparei-me com aquele criado- mudo com pés palito. Um sonho retrô simplesmente irresistível! Célia, de onde veio? Ouvi a história que era do quarto da D. Ondina. E lembrei-me daquela peça que achava muito moderna para a época, porém igualmente chique e despretenciosa. Lembrei que apesar de ser bonzinho como meu pai, tinha medo do Sr. Antônio, patriarca daquela família por ele ser "grande demais". A verdade é que eu era tímida demais.
O fato é que nos finais de semana em Carmópolis, à noitinha era a hora de resgatar a Simone para a casa da Tia Maria. Ai meu Deus! Eu tenho que ir mesmo??? Teimava em me aproximar daquele ambiente, do ninho da família, o quarto da D. Ondina! Só via de longe e garanto que do meu campo de visão dava para ver aquele criado que fazia conjunto com a cama e a penteadeira. Tudo muito chique!

Nesse circuito Ondina- Bicudo, fui privilegiada com esse presente. Um presente lindo! Veio com carinho da mãos da Célia e da emoção da D. Ondina em me presentear com uma peça que fez parte de seu ambiente afetivo. Uma peça que tem muitas histórias para contar, que dialoga comigo, com a Casinha e minha tragetória. E tenho certeza, muito abençoada.

P. S.:   D. Ondina, eu aceito o convite em aprender a fazer biscoitos com a senhora na casa pequena. Nunca mais voltei e quero muito estar lá!


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

SETEMBRO

E todo ano sou presenteada com essas maravilhosas flores que ganhei de minha querida mãe no dia da minha formatura.

Mãe, obrigada por esse presente que tem me encantado durante esses últimos 13 anos no mês de setembro...
É o anúncio da primavera na Casinha!



quarta-feira, 31 de agosto de 2011

AULA DE CULINÁRIA NÚMERO 3!

Entrada: Salada de burrata com azeite de manjericão


Prato principal: Lombo de porco com tempero asiático e espaguete de pupunha com legumes




Sobremesa: Crème Brulée



O melhor cardápio de todos até agora!

CAFÉ DA CASINHA

Passeando por Tiradentes, olha o que encontrei:


Zoom na placa


Café da Casinha!

domingo, 21 de agosto de 2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

SÃO BARTOLOMEU


No caminho da Estrada Real, ao meio das estradas de Minas, fui apresentada à essa "jóia rara", a poucos quilômetros de Ouro Preto. São Bartolomeu é uma das localidades mais antigas da região do ouro. É lá também que nasce o Rio das Velhas.

Na segunda feira passada, foi feriado aqui em Belo Horizonte. E fui convidada a participar de um projeto de arquitetura nesse cenário encantador. Mostro aqui só um pedacinho. Inspiração é o que não falta!

domingo, 14 de agosto de 2011

18 + 18

Vou tentar falar de todas as coisas que aprendi, das coisas que vivi e das coisas que simplesmente inventei, por não conseguir me recordar exatamente de tudo. Já recriei muitas lembranças. Olhando para trás, posso lembrar de coisas lindas e posso imaginar outras que queria ter vivido. O tempo passou, amadureci e isso me permitiu, ver a vida com outros olhos. De tanto recordar, acho que me perdi. Misturo sonho com realidade e fica aqui comigo a saudade.

Se você estivesse aqui agora, como seria? Reconheceria o timbre da voz? Cozinharia seu prato predileto? Pai aprendi a fazer risoto! É uma sofisticação daquele arroz (super cozido) com legumes que preparava lá em casa nas noites de sábados.

Saberia sim de seu olhar. Acho que reconheceria sua respiração e é inesquecível seu sorriso triste. Pai, não lembro de você rir assim como eu, com um sorriso largo. Lembro de um sorriso contido. Corrijo: recordo-me das suas risadas assistindo Os Trapalhões antes do Fantástico. Essa era a hora do seu sorriso semi- largo.

Da sua rotina não me esqueço. Acordava cedo, ligava o rádio e o cheiro do café invadia toda a casa. Aroma da minha vida. Aprendi a gostar ainda menina.

Das coisas que aprendi com você, foi esse “olhar” para a simplicidade. O tempo precisou passar. Aos 18 anos não sabia, não entendia. Mas aos 36 sei como é. O mundo precisou dar muitas voltas, mais que um ciclo completo. Afinal pai, são duros 18 anos sem você e apenas 18 anos com você. Era só uma menina.

Acho que agora eu entendi e percebi que valorizar o que é efetivamente meu, tem muito mais valor. Posso escolher como quero viver. Foi também com você que aprendi que devemos ter respeito e paciência com outro, afinal, somos diferentes. Esse pra mim é um exercício diário, com direito a provas surpresas! E foi com você pai, que aprendi que promover o bem para as pessoas, é estar de bem com a vida.

Das faltas que cometi, das muitas vezes que falhei, tentei reconhecer. É fácil passar dos limites. E muitas vezes só percebi que havia ultrapassado, quando estava do lado de lá. Pai, eu também sou humana e aprendo com os erros.

Das coisas que queria ter aprendido e não consegui, foi fatiar verdura tão perfeitamente como você. A minha ansiedade não permite. Mas o Danilo consegue tão bem como o senhor. Sorte a minha. Foi triste você não ter ficado por aqui mais um pouquinho para carregar suas netas no colo. Sei que essas meninas seriam integralmente amadas como eu e minha irmã. Pai, sabia que você é um vovó muito querido por elas? Por ironia, a Bruna nasceu na sua data: 18 de fevereiro. E carrega algumas heranças suas como posicionar a mão no peito na hora de dormir. A docura dela é toda herança sua.

Sofro por você não ter conhecido o Danilo. Pai, tenho certeza que vocês seriam amigos... ele é legal como você. O mais incrível é a maneira como o Danilo fala de uma pessoa que ele nem conheceu. Ele fala de você com riqueza de detalhes e enche a boca para falar “meu sogro”. Pai, acho que o Danilo também te ama. E saiba que ele também se diverte muito com Os Trapalhões.

E foi com você que aprendi a ouvir mais que falar. E guardo comigo essa tristeza silenciosa. O choro vem na hora de estar só. Confesso que às vezes tenho um pouco desse sorriso triste. Das heranças genéticas, meu rosto imprime o seu. Das heranças afetivas, tenho essa dificuldade de traduzir os sentimentos. Da herança da vida, tenho como você essa valentia pelo ofício.

Ainda há muito que aprender com você. Vou lembrando aqui, via minha memória afetiva. Passaram-se muitos anos. Algumas lembranças valiosas perderam-se no caminho, outras guardadas aqui comigo, vez ou outra me surpreende com coisas que nem sabia que era capaz. Algumas coisas fantasiei, imaginei, outras aconteceram na íntegra. Só te digo que sigo em frente, com propósitos simples que aprendi com você.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

COLOR BLOCKING

É tendência na moda, é tendência faz tempo na casinha!!!
Misturar cores fortes em blocos, será a sensação do próximo verão e a casinha já lançou essa moda!
Tenho um pouco de Frida Kahlo por aqui.

domingo, 7 de agosto de 2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ATENDENDO A PEDIDOS

Sempre há tempo!!!
Atendendo a pedidos, estão aqui as receitas das aulas de culinárias!

Aula de Culinária número 01

Abóbora com Fondue de queijo



Entrecôte com batata dourada com alecrim e tomate


Potinho de limão siciliano





Aula de culinária número 02

Soufle de queijo


Linguado com purê de manjericão
com molho de tomate pelado e funghi


 Crepe de chocolate com morangos