quarta-feira, 31 de agosto de 2011

AULA DE CULINÁRIA NÚMERO 3!

Entrada: Salada de burrata com azeite de manjericão


Prato principal: Lombo de porco com tempero asiático e espaguete de pupunha com legumes




Sobremesa: Crème Brulée



O melhor cardápio de todos até agora!

CAFÉ DA CASINHA

Passeando por Tiradentes, olha o que encontrei:


Zoom na placa


Café da Casinha!

domingo, 21 de agosto de 2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

SÃO BARTOLOMEU


No caminho da Estrada Real, ao meio das estradas de Minas, fui apresentada à essa "jóia rara", a poucos quilômetros de Ouro Preto. São Bartolomeu é uma das localidades mais antigas da região do ouro. É lá também que nasce o Rio das Velhas.

Na segunda feira passada, foi feriado aqui em Belo Horizonte. E fui convidada a participar de um projeto de arquitetura nesse cenário encantador. Mostro aqui só um pedacinho. Inspiração é o que não falta!

domingo, 14 de agosto de 2011

18 + 18

Vou tentar falar de todas as coisas que aprendi, das coisas que vivi e das coisas que simplesmente inventei, por não conseguir me recordar exatamente de tudo. Já recriei muitas lembranças. Olhando para trás, posso lembrar de coisas lindas e posso imaginar outras que queria ter vivido. O tempo passou, amadureci e isso me permitiu, ver a vida com outros olhos. De tanto recordar, acho que me perdi. Misturo sonho com realidade e fica aqui comigo a saudade.

Se você estivesse aqui agora, como seria? Reconheceria o timbre da voz? Cozinharia seu prato predileto? Pai aprendi a fazer risoto! É uma sofisticação daquele arroz (super cozido) com legumes que preparava lá em casa nas noites de sábados.

Saberia sim de seu olhar. Acho que reconheceria sua respiração e é inesquecível seu sorriso triste. Pai, não lembro de você rir assim como eu, com um sorriso largo. Lembro de um sorriso contido. Corrijo: recordo-me das suas risadas assistindo Os Trapalhões antes do Fantástico. Essa era a hora do seu sorriso semi- largo.

Da sua rotina não me esqueço. Acordava cedo, ligava o rádio e o cheiro do café invadia toda a casa. Aroma da minha vida. Aprendi a gostar ainda menina.

Das coisas que aprendi com você, foi esse “olhar” para a simplicidade. O tempo precisou passar. Aos 18 anos não sabia, não entendia. Mas aos 36 sei como é. O mundo precisou dar muitas voltas, mais que um ciclo completo. Afinal pai, são duros 18 anos sem você e apenas 18 anos com você. Era só uma menina.

Acho que agora eu entendi e percebi que valorizar o que é efetivamente meu, tem muito mais valor. Posso escolher como quero viver. Foi também com você que aprendi que devemos ter respeito e paciência com outro, afinal, somos diferentes. Esse pra mim é um exercício diário, com direito a provas surpresas! E foi com você pai, que aprendi que promover o bem para as pessoas, é estar de bem com a vida.

Das faltas que cometi, das muitas vezes que falhei, tentei reconhecer. É fácil passar dos limites. E muitas vezes só percebi que havia ultrapassado, quando estava do lado de lá. Pai, eu também sou humana e aprendo com os erros.

Das coisas que queria ter aprendido e não consegui, foi fatiar verdura tão perfeitamente como você. A minha ansiedade não permite. Mas o Danilo consegue tão bem como o senhor. Sorte a minha. Foi triste você não ter ficado por aqui mais um pouquinho para carregar suas netas no colo. Sei que essas meninas seriam integralmente amadas como eu e minha irmã. Pai, sabia que você é um vovó muito querido por elas? Por ironia, a Bruna nasceu na sua data: 18 de fevereiro. E carrega algumas heranças suas como posicionar a mão no peito na hora de dormir. A docura dela é toda herança sua.

Sofro por você não ter conhecido o Danilo. Pai, tenho certeza que vocês seriam amigos... ele é legal como você. O mais incrível é a maneira como o Danilo fala de uma pessoa que ele nem conheceu. Ele fala de você com riqueza de detalhes e enche a boca para falar “meu sogro”. Pai, acho que o Danilo também te ama. E saiba que ele também se diverte muito com Os Trapalhões.

E foi com você que aprendi a ouvir mais que falar. E guardo comigo essa tristeza silenciosa. O choro vem na hora de estar só. Confesso que às vezes tenho um pouco desse sorriso triste. Das heranças genéticas, meu rosto imprime o seu. Das heranças afetivas, tenho essa dificuldade de traduzir os sentimentos. Da herança da vida, tenho como você essa valentia pelo ofício.

Ainda há muito que aprender com você. Vou lembrando aqui, via minha memória afetiva. Passaram-se muitos anos. Algumas lembranças valiosas perderam-se no caminho, outras guardadas aqui comigo, vez ou outra me surpreende com coisas que nem sabia que era capaz. Algumas coisas fantasiei, imaginei, outras aconteceram na íntegra. Só te digo que sigo em frente, com propósitos simples que aprendi com você.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

COLOR BLOCKING

É tendência na moda, é tendência faz tempo na casinha!!!
Misturar cores fortes em blocos, será a sensação do próximo verão e a casinha já lançou essa moda!
Tenho um pouco de Frida Kahlo por aqui.

domingo, 7 de agosto de 2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ATENDENDO A PEDIDOS

Sempre há tempo!!!
Atendendo a pedidos, estão aqui as receitas das aulas de culinárias!

Aula de Culinária número 01

Abóbora com Fondue de queijo



Entrecôte com batata dourada com alecrim e tomate


Potinho de limão siciliano





Aula de culinária número 02

Soufle de queijo


Linguado com purê de manjericão
com molho de tomate pelado e funghi


 Crepe de chocolate com morangos

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

SEM TEMPO

Ouvi dizer por ai que tempo é prioridade.
Explicação da modernidade.

Queria que meu blog querido fosse prioridade.
Seria tão bom...
Cuidar só da minha Casinha e de mais ninguém!

Tem dia que eu canso de ser mulher moderna.