segunda-feira, 16 de julho de 2012

MORRE LENTAMENTE

" Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um feito muito maior que o simples fato de respirar. Somente a ardente paciência fará com que conquistemos uma esplêndida felicidade"

Martha Medeiros

17 comentários:

remall disse...

Nossa, Zi, escolheu muito bem para começar a semana.
para quem "vive" morrendo lentamente tá na hora de acordar para a vida.
Adorei !
Eu não morro lentamente mesmo, arriscar todo dia a todo instante é se lembrar da vida pulsante dentro de nós.
Bjs, e o copo de leite, tá crescendo? se não, me diga, essa semana vou começar a tirar mais mudas

Anônimo disse...

ola zi sempre entro no seu blog e amos que vc escreve e fico triste o dia que vc não entra bjuss
amiga e continua escrevendo coisas lindas pra gente ta bom???

Zi disse...

Ei Remall, vou confessar... Eles não resistiram à falta de sol. Aqui em casa no inverno, entra pouca luz e eles definharam.. Vou querer outras mudas sim, só que o verão, quando o sol voltar! Beijos querida!

Imac by Artes disse...

Querida amiga!
Amo ler Pablo Neruda!
Boa escolha: Grande verdade nos passa esse texto.
Abraços! Uma linda semana pra ti.

Angélica Fontes disse...

Oi Zi, eu tava precisando reler esse texto de Neruda pra lembrar de coisas que esquecemos... Adorei!!!
Bjos,
Angélica Fontes

Renata Doti disse...

Amiga, este texto é muito adequado para um início de semana; simplesmente revigorante! Como é importante mentalizarmos, sempre, energias renovadoras! Afinal, Deus nos deu o dom da vida e sábios são aqueles que sabem desfrutá-la em toda sua plenitude; bjs

Maria Célia disse...

Oi Zi, bom dia
Este texto é muito bom, já tinho lido em outras ocasiões.
Muito apropriado pra mim, já que sou meio avessa às mudanças, adoro rotina, apesar de já ter melhorado muito, já andei quebrando alguns paradigmas.
Beijo e obrigada pelo comentário deixado no bloguito.

Albuq disse...

Morre lentamente quem deixa de vê a vida com alegria!
Linda reflexão Zi

Madrepérola disse...

Linda mensagem para esta manhã! Sensível e que nos faz refletir! Adoro Pablo Neruda!!!

Kelly Dias disse...

Zi encontrei teu blog nas minhas andanças pela net, adoro Neruda, você escolheu muito bem para começar a semana, voltarei aqui mais vezes para acompanhar gostei do teu jeito de escrever. bj

Ellen Caliseo disse...

Oii..
Morre lentamente quem deixa de viver a vida preocupados com a opinião dos outros..um belo texto para começar a semana.
Uma linda semana..
Bjs!

Carolina Lima disse...

Zi,
este texto do Pablo Neruda é fantástico!

Que vivamos intensamente!

Abraços,
Carol
www.umblogsimples.com

ana maria ( jeito de casa) disse...

oi Zi

eu deveria ler e reler muitas vezes, sou muito certinha fazendo tudo do mesmo jeito... mas sou feliz! quem sabe mudar um pouquinho me faz mais feliz ainda.
Qe bom que vc gostou dos brincos. Por uns três anos fiz bijus pra vender, mas aqui na minha cidade é meio complicado. Tem duas lojas que as peças são caras, o brinco preto ja´custou 50 reais pra montar. Já em Fpolis a única loja boa é de uma parente que não sou muito chegada, então não fico a vontade fazendo compras lá, e cada vez que eu ia comprava muitas peças pra não precisar voltar tão cedo, rs
Outro problema das bijus é que as pessoas gostam de algo, e qdo vamos atras das peças pra fazer novamente a mesma ou em outra cor muitas vezes não encontramos.
è uma pena porque gosto muito de fazer a montagem das peças, mas teria que viajar par SP e comprar num bom preço par revender, então faço pra presentear e pra filha usar, de agora em diante ela vai usar bastante. Ela tem 13 anos, tá maior que eu e todo mundo acha que ela tem 16. Pra tetes ideia ela pede este brinco preto desde nove passado, agora que fi montar, pois acho ela novinha, mas ela sabe o que quer.

obrigada pelo interesse, fiquei feliz!

ana maria ( jeito de casa) disse...

opa, reescrevendo o último parágrafo...

Pra teres ideia ela pede este brinco preto desde novembro passado, agora que fui montar, pois acho ela novinha, mas ela sabe o que quer, me ganhou no cansaço. E deu sorte pois algumas peças do modelo mudaram e ficou mais bonito e mais comprido.

Lia disse...

Você sempre arrasa ... o blog está cada dia melhor!

Sil disse...

Oi. Este texto é atribuído ao Neruda, mas na real, é de Martha Medeiros, escritora daqui do RS.
Sou recém chegada ao teu blog e estou adorando.
Abraço.

Zi disse...

Obrigada Sil! Vou corrigir! Seja bem vinda!